Rastreamento de Câncer de Mama **

​Recomendações baseadas em fortes evidências científicas das quais tem-se consenso uniforme entre o Colégio Brasileiro de Radiologia (CBR), a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetricia (FEBRASGO) que estas recomendações sejam apoiadas vigorosamente: 

 

Recomendações para o rastreamento com mamografia para mulheres de alto risco abaixo de 40 anos:

 

- Mulheres com mutação dos genes BRCA1 ou BRCA2 ou com parentes de primeiro grau com mutação provada: A partir dos 30 anos (mas não antes dos 25 anos);

 

- Mulheres com risco ≥ 20% ao longo da vida, com base em um dos modelos matemáticos baseados na história familiar: A partir de 30 anos ou 10 anos antes da idade do diagnóstico do parente mais jovem acometido pela doença (mas não antes dos 25 anos)

 

Recomendações para o rastreamento com ressonância magnética para mulheres de alto risco abaixo de 40 anos 

 

- Mulheres com mutação dos genes BRCA1 ou BRCA2 ou com parentes de primeiro grau com mutação provada: Anualmente a partir da confirmação da mutação genética (mas não antes dos 30 anos).

 

- Mulheres com risco ≥ 20% ao longo da vida, com base em um dos modelos matemáticos baseados na história familiar: Anualmente a partir do cálculo de risco ou 10 anos antes da idade do diagnóstico do parente mais jovem (mas não antes dos 30 anos);

 

Mulheres entre 40 e 69 anos: mamografia anualmente. Ultrassom e ressonância magnética, conforme cálculos de risco e presença de mutações genéticas. 

 

Mulheres acima de 70 anos: mamografia  anualmente de forma individualizada, segundo avaliação médica.

​2016 por CMJ



 

  • Instagram ícone social
  • Facebook ícone social
  • MINUTO ONCOLOGIA
  • Twitter Clean
  • w-googleplus